Academia acusada de expulsar aluno por preconceito em Caicó se defende diz que jovem mentiu

Um assunto veiculado ontem por um jovem em uma rede social e publicado por alguns blogs da cidade chamou a atenção de muita gente. Um rapaz usou seu Facebook para denunciar que o dono de uma determinada academia de Caicó o havia expulsado apenas por este estar usando uma camiseta regata customizada o que segundo o denunciante seria puro preconceito. Ainda segundo o jovem, que chama-se Leonardo Medeiros, o proprietário teria rasgado sua ficha e inscrição e afirmado que no local ele não malharia mais. 

Entramos em contato com a academia para ouvir o outro lado da história. Segundo a direção, o fato nem de longe ocorreu como foi divulgado. Segundo a pessoa que nos atendeu, a academia seguiu apenas as regras que o Conselho Federal de Educação Física preconiza e uma delas é de que o aluno não deve malhar com camisa muito aberta, nem tampouco sem camisa.

Essa determinação é importante para que o suor não se acumule nas máquinas e é tratado também como questão de higiene, já que as pessoas frequentadoras da academia utilizam os mesmos equipamentos em forma de rodízio. O não cumprimento dessa regra pode acarretar multa para donos de academia. 

Ainda segundo o instrutor, o aluno havia sido avisado diversas vezes sobre a norma, mas não teria dado ouvidos, e, no dia em questão, além de vestir camiseta não permitida, destratou o proprietário da academia, gritando com este na frente dos outros alunos. 

Por fim, a direção esclarece que Leonardo não foi impedido de malhar por preconceito, mas sim pela forma grosseira como tratou o proprietário e principalmente por não cumprir normas do estabelecimento.