Virus da mudança contagia 64% do eleitorado


Por: Merval Pereira, O Globo

A vantagem que a presidente Dilma mostra consistentemente nas pesquisas de opinião, reafirmada ontem pelo Ibope, demonstra que os candidatos de oposição mais conhecidos, como o senador Aécio Neves ou o governador Eduardo Campos, não conseguiram até agora cativar o eleitorado que reafirma, também consistentemente, pesquisa após pesquisa, que quer mudanças e, de preferência, sem Dilma na Presidência.

Mas, se não aparecer ninguém com credibilidade suficiente para transformar o anseio do eleitorado em realidade, isto é, capaz de convencer de que tem uma proposta de governo melhor para colocar em prática, Dilma vai vencer a eleição por falta de opção melhor. É isso o que as pesquisas apontam.

Uma maioria que chega a 64% do eleitorado quer que o próximo presidente “mude totalmente” ou “muita coisa” na próxima gestão. Entre eles, apenas 27% consideram que a própria Dilma poderá fazer as mudanças necessárias.

Os demais querem outra pessoa em seu lugar, mas por enquanto não encontraram entre os candidatos apresentados o perfil que buscam para a mudança.

Aécio e Campos têm a seu favor um relativo desconhecimento do eleitorado. Quando se avalia o potencial de votos, enquanto apenas 7% dizem não conhecer a presidente Dilma (serão de Marte?), nada menos que 35% não conhecem Eduardo Campos e 27% não conhecem Aécio Neves. 

A presidente Dilma tem nesse quesito uma potencialidade muito maior que seus adversários, até o momento. Nada menos que 36% do eleitorado diz que votará nela com certeza, e outros 19% admitem votar, o que dá a ela um potencial de votos de 55%.

Já Aécio Neves tem um potencial total de votos de 33% e Eduardo Campos, de apenas 27%. A questão é saber se, quando forem conhecidos do eleitorado brasileiro, os candidatos do PSDB e do PSB o convencerão de que têm a capacidade de fazer as mudanças por que ele anseia, ampliando assim a potencialidade de votos.