Campos diz que recusou oferta do PT para sair candidato em 2018


O candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB) afirmou nesta segunda-feira (7) ter recusado propostas feitas pelo governo para que ele e seu partido permanecessem na coalizão de apoio a Dilma Rousseff (PT), entre elas uma “para 2018″. Nos bastidores, petistas dizem que houve a sinalização a Campos de que ele poderia ser o candidato da aliança ao Palácio do Planalto daqui a quatro anos, caso se mantivesse fiel a Dilma. 

A declaração de Campos foi dada em resposta à pergunta sobre por que o PSB, que hoje considera o governo Dilma um fracasso, integrou a gestão por mais de dois anos e meio, vindo a romper com o Planalto só em setembro do ano passado. “Quando vimos que o projeto tinha inconsistências, fizemos a crítica interna. E fizemos o que não é comum na política, saímos do governo. Saímos pela porta da frente. A nós foi tentada várias promessas, de participação no governo, de participação em chapa, promessa para 2018″, afirmou Campos à Folha de São Paulo, sem detalhar essas supostas ofertas.