Um ano sem Eduardo Campos: o voo que abalou o país


Obra do destino, a frase que fechou a entrevista de Eduardo Campos ao ‘Jornal Nacional’, em 12 de agosto de 2014, tornou-se epitáfio e ponto de partida para a disputa do legado daquele se projetava como liderança nacional. O “Não vamos desistir do Brasil” dito pelo então presidenciável do PSB virou símbolo da tragédia que exatamente há um ano chocou o país.

Sem ele, a família se recompõe em meio às homenagens, e o filho João deve ser candidato a deputado federal em 2018. Sem ele, o PSB titubeia entre a esquerda e a direita, na esperança de encontrar um nome à altura. No novo cenário, a direção nacional espera, por exemplo, que o senador Romário decida se candidatar à Prefeitura do Rio ano que vem. É parte de uma reconstrução doída, sem o homem em que até o ex-presidente Lula apostava como futuro ocupante do Planalto.