Governo anuncia volta da CPMF para cobrir rombo da Previdência


Após apresentar R$ 26 bilhões em cortes orçamentários para 2016, os ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento) anunciaram a recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). A alíquota é de 0,2% e deve gerar R$ 32 bilhões para que o governo cubra o rombo da Previdência Social, informou O Globo nesta segunda-feira (14). O objetivo do governo é que o imposto "não dure mais do que quatro anos".

A presidente Dilma Rousseff já havia decidido ressuscitar a CPMF em agosto, mas recuou após o Congresso reagiu negativamente à ideia.