‘Se continuar a seca no próximo ano, não é só gado que vai morrer'


O setor agropecuário vive um momento difícil com a estiagem prolongada, aumento do custo de produção e redução em mais de 10% do rebanho potiguar no ano passado, segundo o presidente da Associação Norte-Riograndense de Criadores (Anorc), Antônio Teófilo. “São quatro anos de seca. E se continuar assim, se não chover no próximo ano não vai morrer só o gado, vão morrer humanos, porque essa crise hídrica é violenta”, afirma. Em entrevista à Tribuna do Norte, ele defende a implementação de políticas públicas urgentes para resolver as questões da agropecuária do Nordeste. “No caso específico do nosso Estado, ter um preço mais justo para os produtos e subsídios para os insumos”, afirma. Antônio Teófilo avalia os efeitos da seca, da reformulação do Programa do Leite e a realização da festa do Boi, que será encerrada hoje.